Ricardo Saud contou à PGR que, na campanha de 2014, Michel Temer pediu 15 milhões de reais para a campanha de aliados seus.

De acordo com Saud, desses 15 milhões, Temer ficou com 1 milhão para si próprio.

O dinheiro saiu da "conta corrente" da JBS com o PT, que totalizava 150 milhões de dólares -- ou 300 milhões de reais, ao câmbio da época.