Antônio Cláudio Mariz de Oliveira disse ao Estadão ter "informações seguras" sobre a existência de adulterações e montagens no áudio da conversa entre Michel Temer e Joesley Batista.

O advogado assumiu mesmo a defesa do presidente e avisou que pedirá a perícia da gravação divulgada pelo STF.

"Soubemos que a fita foi editada e isso é gravíssimo."